Thursday, December 1, 2016

A Magia de Escrever Fantasia Parte Um



Para começar, precisamos entender o que significa fantasia. De acordo com dicionário, fantasia (substantivo) é algo que é produzido pela imaginação; uma ideia afastada da realidade; o ato de imaginar algo; um livro, filme, etc., ela conta uma estória sobre coisas que acontecem em um mundo imaginário.


Porém, não é tão simples assim, há muitos subgêneros. Enquanto escrevemos uma estória de fantasia isso não parece ser um problema, mas quando vamos vendê-la ou procurar uma editora para publicá-la, escolher o subgênero que o livro se encaixa livro pode se tornar um pouco complicado.

Inacreditavelmente, há mais de sessenta e cinco subgêneros de fantasia, incluindo: terror, épica, futurística, erótica, alta fantasia, baixa fantasia, científica, contemporânea, mítica, mundos militares, urbanos, paranormais, heroicos, cômicos, mundano, portal…

Há muitos subgêneros para descrevê-los todos aqui! Mas vamos ver os mais comuns:

Fantasia sombria: este subgênero mistura elementos de fantasia e horror; tem uma atmosfera escura, mal-humorada; inclui estórias sobre criaturas endiabradas, múmias, vampiros, lobisomens, zumbis, etc.

Fantasia épica: associa-se com alta fantasia; é a briga constante entre o bem e o mal. A fantasia épica tem três elementos: deve ser uma trilogia ou mais, cobrir um longo espaço de tempo de anos ou mais e a estória tem que acontecer em um amplo espaço ou no universo.

Alta fantasia: é uma ampla categoria; inclui um mundo onde magia segue regras específicas que podem ser diferentes das do mundo real. A estória se passa em um mundo fictício ao invés de real. O mundo fictício é consistente, mas com suas próprias regras. Algumas características incluem elementos fantásticos como fadas, dragões, magia, etc.

Fantasia urbana: também chamada de fantasia contemporânea. A estória acontece em uma cidade e contém elementos sobrenaturais. Pode incluir criaturas como vampiros, fadas, bruxas... Este subgênero pode ser dividido em mais subgêneros.

Fantasia jovem-adulto: escrito e comercializado para jovens e adultos, os personagens são pré-adolescentes ou adolescentes. Os enredos são consistentes com a idade e experiências do personagem principal.

Baixa fantasia: os elementos da fantasia não estão presentes ou enfatizados; o foco está nos personagens ou enredo. A estória se passa em um mundo real ou fictício racional e familiar.

Fantasia mítica: elementos mitológicos estão presentes como, deuses, anjos, dragões, demônios, sereias, lugares mitológicos…

As estórias de fantasia oferecem opções infinitas para novelas, romances, short stories. Um escritor pode criar qualquer coisa, tudo o que quiser, porque elas não precisam ser reais, mas autênticas e interessantes.

Então, o que é necessário escrever uma boa estória de fantasia? Creio que criatividade é o ingrediente principal para imaginar e explorar mitos, lugares, criaturas, enredos e personagens que chamarão a atenção dos leitores. Como você pode ver, há muitos subgêneros e infinitas opções para criar uma estória muito interessante.

As estórias de fantasia tornaram-se populares e podem ser adequadas para você. Antes de investir tempo criando livros ou séries, eu recomendo que você escreva uma short story primeiro e avalie as reações do leitor. Nós podemos usar nossa imaginação para escrever qualquer coisa, mas sua aceitação pelos leitores determinará o seu sucesso.

Na parte dois, na próxima semana, veremos quais as expectativas dos leitores de fantasia.

Baixe gratuitamente o e-book O Lado Sombrio. Basta assinar minha newsletter.



Inscreva-se na minha newsletter para receber as novidades

* indicates required